fbpx

Serviço Social UniSecal: Mesa-redonda aborda a atuação do Assistente Social no contexto de violência durante a pandemia

Texto de Thainara Castanho de Oliveira

Em 15 de maio é celebrado nacionalmente o Dia do Assistente Social, profissional responsável por lutar pelos direitos da população e assegurar seu acesso às políticas sociais.

Em alusão a importância do papel desse profissional na sociedade, o curso de Serviço Social da Unisecal promoveu uma mesa-redonda para abordar a Atuação do Assistente Social no Contexto de Violência durante a pandemia no município de Ponta Grossa.

O evento foi online e contou com a presença de 3 palestrantes, Thais do Prado Dias Verillo, Luciana Pavowski Franco Silvestre e Luciana Stocco. O encontro foi organizado em conjunto pela Coordenadora Profª Fabiana Vosgerau Trentini e pelas acadêmicas do 4º e 5º período do curso de Serviço Social, sendo mediado pelas acadêmicas Eduarda dos Santos e Sarah B.de Godoy.

A mesa redonda foi organizada em três blocos temáticos: o primeiro foi dedicado à discussão sobre a violência contra o idoso, onde a assistente social Thais do Prado acrescentou falas sobre suas vivencias do contexto atual no município de Ponta Grossa, aos atendimentos de baixa, média e alta complexidade. Segundo a profissional, aqui na cidade contamos com equipamentos para atender a população idosa, 10 unidades de Cras que atendem toda cidade, os Cecons (Centro de convivência da pessoa idosa), organizados por entidades ligada a atenção básica (FASPG). Contamos também com os Centro Pop voltados a pessoas em situação de rua (atendimentos, alimentação, banho). A palestrante falou ainda das principais situações de risco ás quais são submetidos esse público, com destaque para agressões psicológicas, violência física, quedas e lesões, desnutrição, abuso financeiro, além do abandono e negligência, destacou a importância dos canais de denúncia para ajudar a noticiar e combater os abusos.

Em seguida compondo a mesa Luciana Silvestre deu prosseguimento, trazendo o assunto Violência contra Criança e Adolescente. De acordo com a palestrante em Ponta Grossa no ano de 2020 foi notificado 600 casos de violência destes 19% vítimas de violência sexual e 30% por negligencia. Atualmente quase 7 milhões de adolescentes vivem em situação de extrema pobreza no Brasil.

A palestrante ainda destacou a queda de denúncias, muitos casos foram subnotificados em tempos de pandemia.

Segundo a Assistente Social a violência contra a criança e adolescente precisa ser discutida amplamente nos mais diversos espaços sociais, e preciso nos articular é mobilizar a sociedade para o engajamento contra a violação dos direitos de crianças e adolescentes.

Além da prevenção, o combate a essa realidade exige que os casos sejam denunciados. Todos podem ajudar, em caso de conhecimento de violência sexual infantil, é preciso procurar o Conselho Tutelar, delegacias especializadas, ou ainda ligar para o Disque Denúncia do município 156, recomenda a assistente social.

Em relação a ultima palestrante da noite, Assistente Social Luciana Stocco da Delegacia da Mulher, a mesma trouxe aspectos muito importantes sobre a temática violência contra a mulher, resgatando um pouco da sua trajetória enquanto profissional inserida na Delegacia da mulher, sobre a Lei Maria da Penha, os casos de feminicídios no município e no cenário nacional. Trouxe como os atendimentos a mulheres com filhos estão sendo realizados no atual contexto de pandemia e, sobre o número das denuncias realizadas nos últimos 3 anos. No atual contexto, com um índice elevado de desemprego, lockdown e o agressor permanecendo mais tempo em casa, ocorrem mais violências domésticas, mas por outro lado com o agressor mais tempo no domicílio, dificulta para que a vítima consiga sair de casa para realizar a denúncia.

Após as falas das convidadas abriu-se para perguntas, gerando um profícuo debate sobre as temáticas. Esgotadas as perguntas, encerrou-se a mesa redonda.

Confira o vídeo na integra, em nosso canal do YouTube, clicando aqui!