fbpx

Professora publica pesquisa sobre História e Ciência em tempos de pandemia

Foto: Francieli Lunelli Santos, professora da UniSecal.

Por: Dani Ribeiro
Supervisão: Rodolpho Bowens

Francieli Lunelli Santos apresenta uma análise do desenvolvimento técnico-científico da indústria farmacêutica, contrapondo com os pontos negativos que ocorreram no processo

Recentemente, a professora dos cursos de Direito e Serviço Social da UniSecal, Dra. Francieli Lunelli Santos, teve uma pesquisa sobre a história da saúde pública e da farmácia no Brasil publicada no Dossiê temático ‘História e ciência em tempos de pandemia: reflexões e perspectivas’, da Revista Temporalidades, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

O artigo faz parte de uma pesquisa mais ampla que a docente realizou em sua tese de doutorado. “Durante meu trabalho me deparei com uma demanda reprimida de pesquisas sobre história da saúde, indústria farmacêutica e medicamentos. Esse é um campo relativamente novo dentro da historiografia, que é minha área de formação”, explica Santos.

Pesquisa

Em ‘Indústria farmacêutica durante os anos (nem tão) dourados: euforia e desencanto (1950-1960)’, Francieli discute a produção de medicamentos no período considerado a “Idade de ouro” ou os “anos dourados” da indústria farmacêutica. “No texto, procuro apontar como todo esse desenvolvimento desencadeou uma produção de medicamentos sem controle, inclusive de mecanismos estatais e muitos desses danos são sentidos até a atualidade”, comenta a professora.

Na pesquisa, a docente analisou como os jornais da época noticiavam o assunto. De acordo com os resultados obtidos, os veículos de comunicação atuaram tanto na legitimação da indústria farmacêutica, através do apelo ao desenvolvimento científico e econômico fomentado pelo setor, como na denúncia das questões relativas à venda indiscriminada de fármacos.

“Cada novo documento e informação encontrados eram como pistas deixadas na história. Assim a história da indústria farmacêutica, através da mídia impressa, aliada à história da saúde e das doenças, tornou-se o campo científico o qual procuro me aprofundar”, relata a pesquisadora.

Revista

Segundo a Revista Temporalidades, o Dossiê temático se inspira na gripe espanhola e cerca a covid-19 para questionar qual o papel da história diante de uma crise sanitária global. “Dado o presente contexto em que vivemos – pandemia de Sars-Cov2, houve o despertar de interesse de diversos pesquisadores sobre a história da saúde e temas correlatos. Como já tinha pesquisa produzida sobre o tema, ampliei algumas reflexões tendo por base as próprias leituras das disciplinas que leciono”, explana Santos.

Para a professora, o tema é propício para análises a serem realizadas por diversas áreas. “A pesquisa envolve temas como bioética, direito à saúde e direito do consumidor, que na época sobre a qual a pesquisa discorre nem existia. Esse é um campo aberto para estudos a serem realizados por diversas áreas como o Direito, Serviço Social, Sociologia, História e Humanidades”, aponta a docente.

Formação

Francieli é Doutora em Ciências Sociais Aplicadas pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), com um período na Universidade de Coimbra, em Portugal e Mestra em Ciências Sociais Aplicadas também pela UEPG. No curso de Direito da UniSecal, leciona as disciplinas de Ética, Filosofia e Direito, e para os alunos de Serviço Social aplica Filosofia, Direitos Humanos e Instrumentos de Proteção.

 

 

Conteúdos relacionados:

Alunos de Grupo de Estudo publicam artigos em periódicos científicos.

Cursos da UniSecal Digital estão com inscrições abertas.

Delegado de PG conversa com alunos da UniSecal sobre a carreira policial.