NBPG vence Cravinhos na 3ª prorrogação e conquista título brasileiro dentro de casa

Fotos: Naiâne Laize Jagnow, aluna de Jornalismo.

Com o ginásio Borell Du Vernay lotado no Final Four, Novo Basquete Ponta Grossa leva o título de campeão brasileiro de basquete

Por Ciriane Shaniuk e Gabriel Ipólito (acadêmicos de Jornalismo da UniSecal)

No último final de semana, o Novo Basquete Ponta Grossa/CCR RodoNorte/UniSecal/LDPG (NBPG) levantou a taça do Campeonato Brasileiro de Basquete. Em um duelo histórico contra o Cravinhos Basketball, o time de Ponta Grossa (PR) prevaleceu após três prorrogações e conquistou o maior título desde o início do projeto.

Após terminar 14 rodadas da 1ª fase, o NBPG garantiu vaga no Final Four da competição, que foi realizado no Ginásio Borell Du Vernay. A semifinal aconteceu na última sexta-feira, 7 de junho. A primeira partida foi às 18h entre Cravinhos e Brusque. E o segundo foi às 20h30 entre NBPG e UNIFAE.

Após os jogos, quem avançou à final foram NBPG e Cravinhos. O Lobo venceu a UNIFAE por 73 a 55. A equipe da casa começou perdendo, mas virou ainda no 1º quarto e controlou o restante do jogo. Wilsinho liderou o time no placar com 17 pontos, mas os pivôs também foram decisivos: Nilson marcou 16 pontos e pegou 13 rebotes, enquanto Atílio anotou 16 pontos e 11 rebotes.

A grande final

No dia 8 de junho, sábado, a UNIFAE venceu o Brusque por 67 a 55 na decisão do 3° lugar. Ainda durante o primeiro jogo do dia, a torcida já começava a lotar o Borell. A expectativa pelo título era grande, mas também era alta a apreensão pelo retrospecto contra o adversário: o Cravinhos fez a melhor campanha da 1ª fase e venceu o NBPG nos dois turnos. Os paulistas haviam batido o Brusque nas semifinais com grandes atuações do armador Mateus e do ala norte-americano Eric Laster, MVP do campeonato.

A promessa de jogo equilibrado se cumpriu desde o início. Cravinhos começou certeiro nas bolas de três, mas do outro lado, todos os titulares do NBPG pontuaram no 1º quarto, que terminou em 24 a 19 para o Lobo. O time da casa ameaçou desgarrar no placar no 2º quarto, mas foi para o intervalo com seis pontos de vantagem, em 41 a 35.

No 3º quarto o Cravinhos encostou no placar e o jogo passou a ser disputado ponto a ponto até o final. Cada lance fazia os mais de mil torcedores que foram ao Borell prenderem a respiração. Os visitantes chegaram a liderar o placar nos minutos finais, mas, embalado pela torcida, o NBPG empatou e com o placar em 80 a 80, a final foi para a 1ª prorrogação.

No tempo extra, a tensão e o cansaço causaram vários erros de ambos os lados. Assim como no fim do tempo regulamentar, o Cravinhos teve a posse de bola nos segundos finais das duas primeiras prorrogações, mas foi parado pela defesa do Lobo. Finalmente, na 3ª prorrogação, o NBPG se provou mais resistente e contou com ações decisivas do armador Michel – que anotou um triple-double – e do pivô Nilson para embalar no placar, fechando o jogo em 109 a 99.

A torcida já não continha o grito de campeão e, com o estouro do relógio, o time pôde comemorar aliviado. O NBPG saiu vitorioso da emocionante batalha contra o Cravinhos, melhor equipe da competição até ali. A festa tomou conta do Borell, que agora é a casa do Campeão Brasileiro de Basquete. O ala/armador e MVP do Final Four, Michel, comentou sobre a vitória.

“Quase todo mundo enfartando dentro da quadra, a torcida também. Mas essa final, pelo campeonato, merecia esse equilíbrio que teve. A gente sabia que uma hora da prorrogação iria sair vencedor e não perdedor daqui”, enfatiza.

Apoio da torcida

Os torcedores do NBPG foram decisivos nas partidas finais. Lotaram os dois dias de jogos, deram total apoio ao time e a cada ponto marcado vibravam na arquibancada. “Sem palavras ver isso aqui lotado. Primeiro campeonato de expressão nosso, um brasileiro. Show de bola ganhar aqui dentro, poder sediar o campeonato e ver essa torcida linda comemorando conosco”, disse o armador Lucas Duso. O técnico Milos Alexander também comentou sobre o apoio do torcedor. “Queria agradecer a torcida maravilhosa, que fez toda a diferença. A gente teve a oportunidade de trazer essa decisão para casa, o que tem que ser nosso, é nosso”, relata.

Sucesso na quadra e nos estudos

O projeto Novo Basquete Ponta Grossa foi criado em 2009 por Paulo Moreira, que hoje ocupa o cargo de coordenador do projeto. Paulo cresceu com o basquete, jogou e também viu os filhos jogarem. Idealizador do time, ele comenta a gratificação de ver o crescimento do NBPG. “Hoje, a molecada toda estudando, conseguindo jogar, conseguindo ser campeão. Um show, um espetáculo desses, só posso agradecer a Deus”, celebrou.

Dayane, aluna da UniSecal, sempre acompanha os jogos e disse que não poderia perder a final do campeonato. “Foi muito legal, ainda mais que os meninos estudam junto comigo, o Cassio e o Léo. E a gente sabe da dedicação deles tanto no esporte como na faculdade, então é muito gratificante para todos nós”, comemorou a acadêmica.



1
Olá 👋
Podemos te ajudar?
Powered by